Caça ao Tesouro

Nós com eles, Programas

Toda a gente sabe o que é uma caça ao tesouro. Toda a gente já jogou e… ou se calhar não… Se calhar os nossos filhos, aquela geração em que nós queríamos, à viva força, que eles fossem “bons” e andávamos numa azáfama dum lado para o outro, a levá-los à ginástica rítmica, ao inglês, à lição de piano, ao… sei lá o quê!, acabámos por não lhes deixar muito tempo para serem crianças e brincarem.

Brincarem a sério, sujarem-se nos jardins esfolarem os joelhos a subir às árvores, jogarem à bola sem terem que estar sempre com atenção, não vá o próximo pontapé atirar a bola contra o casal que está a namorar ali próximo.

É por isso, e como talvez nem todos nós – ou os nossos filhos – tenham feito uma caça ao tesouro, que hoje decidi propor que as “Avós sem Nós” se “redimam” dessa lacuna na cultura dos filhos, organizando uma espectacular caça ao tesouro, para os seus netos.

Não é complicado, É apenas uma questão de paciência,  organização e alguma imaginação. Para mais, hoje em dia há uma série de sites na internet onde pode ir buscar ideias para pistas… senão mesmo as próprias pistas! (alguns estão no fim deste post)

Mas vamos por partes:

NA PRÁTICA

A primeira coisa a ter em conta é a idade das crianças. Podem fazer-se caças ao tesouro desde os dois anos, mas para dizer a verdade, para mim uma caça ao tesouro faz sentido a partir dos seis/sete anos, idade em que as crianças já sabem ler.

— ONDE

Onde quiser. Em casa, no jardim, num parque público até num centro comercial!

— TEMA

A caçada pode ter um tema e isso ajuda-a na criação de pistas para além de permitir que as crianças mais novas se mascararem, o que por si só, já é um divertimento.

Ali Babá e os 40 ladrões, Piratas das Caravelas, Paleta de Cores (em que as crianças têm que juntar uma série de objectos duma determinada cor), a torre da Princesa Loira, o Tesouro do Tigre da Malásia…  Neste site:  pode fazer o download de uma série de kits de caças ao tesouro prontos para imprimir.SLXLM​​

— PISTAS

As caças ao tesouro começam normalmente com uma carta um ou mapa do tesouro que foi parar às mãos das crianças por engano, ou em segredo. Nela diz-se que há um tesouro mas que para o encontrarem terão que resolver alguns enigmas ou seguir as pistas dadas.

Mais uma vez ajuste as pistas à idade das crianças.

FOTOGRAFIAS dos locais onde encontrarão a próxima pista (outra fotografia) funcionam bem com crianças mais novas.

Para os mais velhos, pode usar:

 ADIVINHAS:

“Sou uma coisa que tu precisas usar, depois de comer e ao acordar”

Neste link: http://www.tempojunto.com/wp-content/uploads/2015/04/colecao-de-pistas-tempojunto.pdf, encontra uma série de adivinhas apropriadas.

  CHARADAS: A Charada é um conjunto de vários desenhos que, depois de interpretados, resultam em sílabas que devem permitir descobrir uma frase ou uma palavra. É, assim, possível utilizar as charadas para criar palavras ou frases que têm de ser descobertas.

  QUEBRA CABEÇAS: cada sitio onde as crianças vão ter que descobrir, tem uma peça. No fim, as crianças montam o quebra cabeças, viram cuidadosamente e veem a localização do tesouro escrita no verso.

 VIA NET: Hoje em dia, como quase todas as crianças têm telemóveis  pode fazer também uma caça ao tesousro em que sempre que as crianças encontram uma pista lhe enviam uma mensagem. Na volta você envia a pista seguinte da mesma forma.

  MXLLS​​

Outra ideia, – de que eu gosto especialmente – é fazer uma caça ao tesouro numa tarde de CULINÁRIA: em que cada local da caçada, há um ingrediente para uma certa receita “secreta” que será feita no final.

  O TESOURO!

 Pode ser sempre uma caixa de sapatos forrada e cheia de moedas de ouro falsas, saquinhos de rebuçados ou de lembranças que os seus netos poderão levar para casa. Mas um troféu que eles podem “erguer” e possam guardar e é sempre bem visto. Principalmente se forem rapazes… (e o tema for futebol).

Algumas dicas:

  • A regra de ouro é que a paciência das crianças dura por mais ou menos o dobro da idade delas em pistas.

  • Faça equipas. É muito mais divertido procurar em grupo do que sozinho. Mas cuidado, as equipas devem ter no máximo, 3/4 elementos. Mais do que isso dá confusão dentro da própria equipa.

  • Quando preparar as pistas, crie-as em ordem inversa – primeiro o tesouro, depois a pista para encontrar o tesouro, depois a pista para encontrar essa pista, etc. Escreva a primeira pista por último. É mais fácil criar as charadas desta forma.

  • Use códigos diferentes, letras embaralhadas, quebra-cabeças, enigmas e jogos, assim não precisa usar o mesmo tipo de pista duas vezes seguidas.

Se alguma das nossas “Avós sem Nós” se decidir organizar uma Caça ao Tesouro, um dia destes, nós pelo nosso lado, adoraríamos que nos contasse connosco como correu e partilhasse algumas fotografias e emoções.

Quem sabe o seu neto está a fazer anos e em conjunto com os pais dele…

Comentários

comentários