Avó da Semana: Noémia Costa Dias

Avó da Semana

Nasceu o João Pedro! Na manhã de quarta-feira, dia 1 de Novembro, feriado de Todos–os–Santos. A influência da minha educação católica leva-me a pensar que veio abençoado por todos eles, os Santos anónimos que são honrados neste dia.

Veio adiantado, uns diazitos, tal como o pai há 35 anos que chegou um mês mais cedo e era ainda mais pequenino que o João Pedro que nasceu com 2.580Kg.

Tal como o pai, o João Pedro é 1º filho, 1º neto e 1º bisneto do lado do pai. A minha avó tinha 85 anos quando o Paulo nasceu, agora a minha mãe está com 94 anos, com saúde, e muito feliz, pelo seu bisnetinho

Há 35 anos, o nascimento do meu filho e 5 anos depois, o do irmão, foram os momentos mais marcantes da minha vida que nunca mais foi a mesma.

Hoje a chegada do João Pedro fez-me reviver esses momentos de pura felicidade, esses momentos que o ser humano só experiencia quando traz vida ao Mundo.

Acho que é um poder, sobretudo para nós mulheres que os carregamos nove meses, que ultrapassa qualquer outro êxito que tenhamos na vida e inexplicavelmente, este sentimento de que se gerou vida, é-nos transmitido quando os filhos dos nossos filhos vêm ao Mundo….. um sentimento que eu não estava a contar sentir, pois apesar de já me terem avisado que ser avó é encontrar um amor ainda maior na vida, foi preciso experimentá-lo para o sentir.

E dou comigo a pensar: “só queria que um dia o meu neto sentisse por mim o amor enorme que eu tive pela minha avó materna que, de certa forma me criou; a minha mãe durante a minha infância esteve pouco presente, trabalhava muito, durante mais de uma década e desde os 13 meses era a minha avó que me acompanhava nas férias de Verão. Só queria que ele visse em mim a segunda mãe que está aqui para ele, sempre…”

Ontem uma amiga publicou o seguinte texto que exprime exactamente o meu sentimento em relação à vida e ao que está para lá dela:

“Quando os meus filhos disserem aos meus netos o quanto eu os amava, e quando os meus netos disserem aos meus filhos que guardam lembranças minhas, e de mim sentem saudade, não terei morrido nunca. Serei Eternidade!

Noémia Costa Dias (a autora é contra o Novo Acordo Ortográfico e escreve com a antiga ortografia)

Comentários

comentários